A Nossa Visão

 

Muitas pessoas poderão perguntar “porque é que o acesso adequado é tão importante?”:

 

Só na União Europeia, residem mais de 80 milhões de pessoas com incapacidades motoras – o equivalente às populações da Bélgica, República Checa, Grécia, Hungria e Países Baixos combinadas. Noutras palavras, mais de 10% da população. Um em cada quatro europeus tem um familiar com uma incapacidade motora. Seis em dez Europeus conhecem alguém, nos seus círculos mais íntimos ou alargados, com incapacidades motoras. Os indivíduos com mobilidade reduzida representam mais de 40% da população.

 

Provavelmente não saberá que 50% das pessoas com incapacidades motoras nunca participaram em atividades de lazer ou desportivas. Para além disso, um terço da população com incapacidades motoras nunca se deslocou ao estrangeiro, nem participou em excursões, devido à inacessibilidade de alguns locais e serviços.

 

De acordo com as estatísticas, 97% dos europeus pensam que deverão ser tomadas medidas para assegurar uma melhor integração das pessoas com incapacidades motoras na sociedade, e 93% dos europeus exprimem o desejo de disponibilizar mais dinheiro com o intuito de remover barreiras físicas, que complicam a vida das pessoas com dificuldades motoras.

 

A capacidade de acesso é essencial às pessoas com incapacidades motoras, pois só através desta elas poderão exercer os seus direitos e participar plenamente na sociedade. Na verdade, em alguns países, a falta de acesso ao meio ambiente construído é considerada uma forma de discriminação.

 

A Europa promove uma perspetiva de “Design para Todos” relativamente ao meio ambiente construído, para que os edifícios e espaços públicos possam ser utilizados imediatamente pelo máximo de pessoas possível, e possam ser acessíveis a todos. Apesar da diversidade das soluções técnicas específicas, a um nível funcional, as pessoas com incapacidades motoras têm necessidades de acessibilidade semelhantes por toda a Europa.

 

Adicionalmente, os ambientes contruídos com a acessibilidade em mente são atraentes a nível económico; estes são mais flexíveis a nível funcional e a infraestrutura é mais sustentável, pois não serão necessárias adaptações dispendiosas no futuro. As pessoas com incapacidades motoras deverão ser vistas como clientes valiosos, e o bom acesso não só deverá ser considerado um assunto de cariz moral, como também uma boa estratégia comercial.

 

A capacidade de acesso é um direito humano básico e um pilar fundamental da justiça social. A justiça social tem como objetivo a aceitação das pessoas como individuais, assim como o acesso a oportunidades justas e iguais para participar plenamente na vida social. Um meio ambiente verdadeiramente acessível é aquele no qual as pessoas podem exprimir livremente a sua independência, e onde todos os obstáculos à integração foram removidos.

 

Segundo as estimativas do CAFE, pelo menos 500.000 pessoas com incapacidades motoras que se encontram na região alargada europeia da UEFA, serão provavelmente apoiantes ativos de futebol e muitos mais aspiram a tornar-se apoiantes presentes nas partidas. As pessoas com incapacidades motoras, têm o direito de desfrutar do futebol, do desporto e de todas as formas de entretenimento, da mesma forma que outra pessoa qualquer. Isto aplica-se a todos os níveis do futebol.

 

Cada vez mais, os apoiantes de futebol com dificuldades motoras desejam deslocar-se às partidas e aos torneios de futebol, tanto nos seus países, como no estrangeiro. À medida que os acessos vão melhorando, cada vez mais pessoas com dificuldades motoras conseguirão comparecer em torneios como o EURO 2012, acompanhados por outros apoiantes.

 

Ao inspirar mais pessoas com incapacidades motoras a comparecer em partidas ao vivo e a se envolverem em atividades voluntárias locais, o CAFE tem como objetivo a estimulação da inclusão social, o encorajamento da interação entre cidadãos, a contribuição para a aprendizagem intercultural e o realçamento tanto da diversidade como da unificação da Europa.

 

Objetivos do CAFE

•Promover o acesso a todos os estádios de futebol Europeus e aos seus clubes;

• Agir como consultores acessíveis dos estádios, reconhecer e partilhar uma boa prática, onde esta existir (instalações e serviços);

• Aumentar a consciencialização relativamente aos problemas relacionados com a incapacidade motora e com os acessos, através da influência especial do futebol;

• Estabelecer uma rede europeia de grupos de apoiantes locais e nacionais com incapacidades motoras que se gerem e representam a si mesmos a nível local;

• Permitir que mais pessoas com incapacidades motoras sigam e se envolvam no futebol a todos os níveis do jogo

 

 

Como “Europa” consideramos as 54 Associações de Futebol da UEFA que vão para além da Europa geográfica e incluímos países como Israel e o Cazaquistão. O CAFE tem como objetivo alcançar esta zona geográfica mais ampla.