"Uso cadeira de rodas e posso ir aos jogos"

 

Jean-Pierre Inacio

Jean-Pierre Inacio é um adepto de futebol que se desloca em cadeira de rodas, mas nada podia impedi-lo de ver um jogo ao vivo. Ele partilhou connosco a sua experiência no EURO 2016.

 

O que tem de fazer um adepto de futebol que se desloque em cadeira de rodas para ver um jogo no estádio e viver a experiência do UEFA EURO 2016? Numa altura em que a UEFA continua a trabalhar para melhorar o acesso de todos ao futebol, seguimos Jean-Pierre Inacio até ao Stade de Bordeaux, onde viu a Bélgica defrontar a República da Irlanda.

 

"O que gosto no futebol, e particularmente no EURO, que se realiza agora, é ter a oportunidade de estar rodeado de adeptos, de conhecer pessoas e de partilhar as emoções", explicou. "A vida é isso mesmo".

 

Jean-Pierre encoraja outros adeptos com deficiência, que possam hesitar antes de ir a um jogo. "O meu conselho para as pessoas com mobilidade reduzida que queiram ir ao estádio é irem, claro", disse. 

 

Num trabalho conjunto com o Centro de Acesso ao Futebol na Europa (CAFE), parceiro de responsabilidade social, e as autoridades das cidades e estádios, a UEFA tem conseguido progressos notáveis na acessibilidade ao futebol desde o UEFA EURO 2012, tendo feito da edição de 2016 um evento socialmente inclusivo.

 

Joyce Cook, directora do CAFE para o acesso ao desporto de adeptos com deficiências, partilhou a visão que tem sobre o tema. "A história de Jean-Pierre no EURO 2016 terá repercussão na maioria dos adeptos do futebol, e sublinha a razão pela qual o empenho do CAFE e da UEFA para com os adeptos portadores de deficiências é tão importante. Sem bons acessos, elas são simplesmente excluídas".

 

"O projecto 'Respeito – Acesso para Todos' do UEFA EURO 2016, permitiu-nos dar continuidade ao excelente trabalho que iniciámos em conjunto na Polónia e na Ucrânia, há quatro anos, e estamos já a pensar ns próximos quatro anos, tentando implementar a iniciativa Futebol Total Acesso Total em toda a Europa".

 

Tanto as infra-estruturas como os serviços têm sido desenvolvidos, desde bilhetes de estacionamento até entradas para adeptos deficientes e filas reduzidas, bem como veículos para transporte e elevadores, Narração Áudio-descritiva (ADC), voluntários especificamente contratados para guiar, ajudar e responder às dúvidas que os adeptos deficientes possam ter.

 

 

 

 

 

 

http://pt.uefa.org/social-responsibility/news/newsid=2386490.html#uso+cadeira+rodas+posso+jogos